PÁGINA INICIAL RÁDIO VIP VIP TV ARTIGOS CANAIS YOUTUBE CASOS E ACASOS

Páginas

Um Natal repleto de amor e um ano novo de muita paz e realizações

domingo, 10 de agosto de 2014

José Agripino explica como o DEM que apoia Aécio pode também apoiar e distribuir santinhos com o PMDB que apoia Dilma



Numa interpretação literal da lei, candidatos a governador, senador e deputado só podem mencionar no material de campanha —santinhos, faixas, baners e cartazes, por exemplo— o nome do presidenciável apoiado formalmente pelos respectivos partidos, Diz o Blog Josias de Sousa. Para contornar a proibição, a campanha tucana imprime peças nas quais Aécio declara apoio aos candidatos vinculados à candidatura de Dilma.


Coordenador nacional da campanha de Aécio, o senador José Agripino Maia explicou ao blog o que sucede: “Fazemos a propaganda casada a partir de uma fórmula imaginosa. O nome de Aécio aparece no material dos candidatos proporcionais. Por exemplo: no Rio Grande do Norte, a propaganda informará que Aécio apoia a candidatura de Felipe Maia (DEM) para Câmara e de Henrique Alves (PMDB) para o governo do Estado.”


O repórter perguntou: Mas Henrique Alves, filiado ao PMDB de Michel Temer, vice de Dilma, não está obrigado a apoiar a candidata do PT? E Agripino: “No nosso material, o PSDB nacional informa que Aécio apoia Henrique Alves e Felipe Maia. Nós verificamos a lei. O debate passou pelo setor jurídico da campanha. Não há nenhum impedimento. O CNPJ que aparece nos impressos é o da campanha de Aécio. Desse modo, podemos colocar inclusive as fotos.”

Do Blog: Entendeu? Também não. Só uma coisa está bem clara: tudo isso é para te confundir e ganhar o seu voto. Seria a mesma coisa de você ir para passeata do prefeito Nei Rossatto usando o adesivo de Henrique, ir para a festa de Corrinha do PT usando o adesivo de Fátima Bezerra e votar em Aécio Neves para presidente.



Você só corre o risco de ser chamado de eleitor vira-casaca, vendido e fulera. Quanto a eles, o nome é mais sociável: “ESTRATÉGIA POLÍTICA.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário