PÁGINA INICIAL RÁDIO VIP VIP TV ARTIGOS CANAIS YOUTUBE CASOS E ACASOS

Páginas

Um Natal repleto de amor e um ano novo de muita paz e realizações

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Problema de Terreno causador de polêmica entre o vereador Mazinho e o prefeito Nei pode estar resolvido

Essa novela deve ter chegado ao seu final. Depois de chegar de Mossoró, onde estava a trabalho, fui me inteirar pessoalmente sobre o assunto tão discutido na cidade.

Antes de entrar meramente no assunto em pauta preciso retificar o que publiquei sobre o suposto terreno em questão (ver AQUI e AQUI). O terreno a que me referi em postagens anteriores não é propriamente o que está em questão. Na verdade a prefeitura já está de posse deste terreno ao lado do baixio da prefeitura, onde o vereador Mazinho alegava ser objeto de uma permuta entre a prefeitura, na época administrada pelo ex-prefeito Alberto Patrício, que construiu em terreno que o vereador dizia ser de sua propriedade a Avenida calçada que dá acesso ao Fórum, no Bairro Novo Horizonte. Constatado que esta parte pertencia ao DENIT (margens da RN que dá acesso a cidade de Antonio Martins) essa pendenga já foi resolvida e Mazinho retirou a cerca que dividia o terreno no baixio da prefeitura.

O terreno que está causando a disputa polêmica é de 6 mil metros quadrados ao lado da Rua Projetada, próximo a ponte sobre o Rio Alexandria no Alto da Boa Vista.


Em conversa com o vereador Mazinho na noite de ontem o mesmo afirmou que comprou o tal terreno de 6 mil metros quadrados do Sr. Josué e Josemar e, por isso, alegou estar sofrendo perseguições do prefeito. Perguntei se o mesmo detinha a escritura. Mazinho ficou de conversar sobre o assunto hoje (29) pela manhã. Mas, o mesmo não deu prosseguimento à conversa.

O blog teve acesso a algumas cópias de documentos. A exemplo de uma Escritura Pública de Desapropriação Amigável de Imóvel Urbano, que se trata justamente do terreno supracitado. A outorgante é Francinete Maniçoba de Oliveira e o Outorgado é a Prefeitura Municipal de Alexandria. A data da escritura é de 4 de dezembro de 2013, mas a desapropriação é de 6 de maio de 1993 no valor de 30 mil cruzeiros, na época.

De posse da escritura o município entrou com um pedido de liminar na justiça para reintegração de posse, sendo aceita pela juíza Welma Maria Ferreira de Menezes, decisão datada do dia 27 de janeiro de 2015, sob pena de multa diária no valor de R$ 500,00.


No início da tarde de hoje (29) funcionários da Secretaria de Obras, acompanhados do secretário Leilson Heleno, estavam realizando a medição do terreno depois do município tomar posse, com a presença da polícia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário