PÁGINA INICIAL RÁDIO VIP VIP TV ARTIGOS CANAIS YOUTUBE CASOS E ACASOS

Páginas

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Para quem vai a Mossoró, principalmente para tratamento de saúde, deve gastar mais com taxi

É provável que não seja “normal” e pacífica a alteração que a Prefeitura de Mossoró implementará a partir de terça-feira (28), na circulação de vans e táxis-alternativos intermunicipais.

Há mobilização contrária às mudanças, organizada pelos condutores desses veículos e seu sindicato.

Na prática, a alteração impede, por exemplo, que um táxi deixe passageiro doente numa clínica na chamada “área dos hospitais” e volte para apanhá-lo. O paciente/passageiro precisará pegar outro táxi/mototáxi local e ir para outro ponto de “embarque” fora do centro.

Os táxis de lotação intermunicipais terão que desembarcar os passageiros no Largo Porcino Costa, localizado na Avenida Rio Branco, ao lado da Estação das Artes Eliseu Ventania – Centro da cidade. Após o desembarque, os táxis/vans intermunicipais deverão se deslocar para o ponto de apoio, não podendo mais estacionar ou circular em busca de passageiros no Centro da cidade.

Promessa que não se cumpriu

O embarque será feito nos pontos A e B, que ficam na parada ao lado do Aeroporto Dix-sept Rosado (Bairro Aeroporto) e no Parque de Exposição Armando Buá (bairro Costa e Silva, respectivamente.

Os dois locais são distantes cerca de 3,2 quilômetros do Largo Porcino Costa.

O prefeito Francisco José Júnior (PSD) prometeu a uma comissão de vereadores e representantes de entidades empresariais de Mossoró, no dia 8 de junho, que não tomaria nenhuma medida sobre a questão da mobilidade urbana e outros interesses da economia local, sem ouvi-los. Disse textualmente isso em reunião no Palácio da Resistência, sede da municipalidade, àquele dia.

Na prática, a mudança acontece justamente ao contrário do que foi prometido. Veja AQUI.


Portanto é provável que haja conflito com os taxistas e condutores de vans intermunicipais e mal-estar com o empresariado, assentado na Câmara de Dirigente Lojista (CDL), Associação Comercial e Industrial de Mossoró (ACIM) e Sindicato do Comércio Varejista de Mossoró (SINDIVAREJO).
(Carlos Santos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário