PÁGINA INICIAL RÁDIO VIP VIP TV ARTIGOS CANAIS YOUTUBE CASOS E ACASOS

Páginas

Um Natal repleto de amor e um ano novo de muita paz e realizações

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

As vésperas do dia de finados, o anúncio de uma morte esperada

O ex-prefeito Alberto Patrício anunciou, em uma rádio local, o fim da sua parceria política com o governador Robinson Faria e o deputado federal Fábio Faria. Essa parceria propiciou a oposição de Alexandria aplicar uma derrota esmagadora ao então grupo político liderado pelo prefeito Nei Rossatto na eleição para governo do Estado o ano passado, sendo uma disputa acirrada no segundo turno, com uma maioria de 420 votos.

O ex-prefeito acusou Robinson Faria de traição. A mesma traição que ele propiciou ao PMDB na campanha para prefeito ao escolher Jânia Fernandes como candidata do seu grupo no lugar de Antônio Pires “o seu eterno vice” do PMDB dos “eternos amigos” Garibaldi Alves e Henrique Alves, esse último candidato derrotado ao governo do Estado.

A morte anunciada, as vésperas do dia de finados, já veio tarde. Era explícito que o governador aplicara doses excessivas de veneno na parceria. Demitiu pessoas ligadas a Alberto Patrício da Central do Cidadão e substituiu por eleitores de confiança de Jeane Ferreira, esposa do desembargador Expedito Ferreira e pré-candidata declarada ao Executivo Municipal, que apoiou o ministro Henrique Alves na eleição passada.

Alberto citou palavras duras ao se referir ao rompimento. Se fatos aconteceram como o ex-prefeito relatou, foi o mínimo. Disse o ex-prefeito que ele e Jânia Fernandes foram até excluídos do WHatSapp na última tentativa do governador de cortar todos os acessos. Sem contar que retirou a presidência do PSD do domínio de Jânia Fernandes sem nem comunicá-la. Na verdade, foi um desprestígio amargo. Só faltaram as flores no dia de hoje (02).

Na véspera do anúncio, uma foto com indicativos de “cada vez unidos” foi publicada na rede social da médica Jânia Fernandes. Lá estava à oposição com o vereador Júnior Abrantes, primo de Fábio Veras, vice-governador do Estado. Isso poderá significar muita coisa. Inclusive que o rompimento de Alberto e Jânia não significará nada para a eleição de prefeito. Foi do tempo em que a fidelidade política era completa. Caso contrário o que estaria o vereador Júnior Abrantes com o grupo de oposição?

A briga para assumir o comando de uma cidade sucateada, atravessando sérias dificuldades, começou muito cedo. Há tempo suficiente para os protagonistas do circo político criarem enredos inimagináveis para uma plateia sofrida e sem perspectivas de mudanças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário