PÁGINA INICIAL RÁDIO VIP VIP TV ARTIGOS CANAIS YOUTUBE CASOS E ACASOS

Páginas

Parabéns Alexandria pelos seus 87 anos de Emancipação Política

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Saiba como a nova pirâmide financeira vai tentar enganar você



Em um mundo no qual as mulheres são maltratadas, é fundamental que nos apoiemos e nos conectemos à nossa espiritualidade. Essas palavras soam muito bonitas, não é mesmo? Agora, e se disséssemos que esse discurso está sendo usado para sustentar um esquema de pirâmide financeira? A “Mandala da Prosperidade”, também chamada de “Tear dos Sonhos”, já é velha conhecida nos Estados Unidos e em outros países da América Latina, mas chegou há pouco tempo no Brasil e vem ganhando espaço – secretamente, já que as participantes são orientadas a não falar sobre o assunto em público.


O esquema é camuflado em um ideal que mistura conceitos de feminismo – alegando que a “Mandala” rompe o sistema econômico tradicional que oprime as mulheres – há elementos de espiritualidade new age, como a ideia do “Sagrado Feminino”. Defende-se que a energia da união das mulheres seria capaz de trazer prosperidade e evolução espiritual.

O discurso que envolve sonoridade e misticismo conquista mulheres bem intencionadas, que não percebem que prejudicarão as demais para que elas consigam o dinheiro prometido. Muitas delas, inclusive, estão em situação econômica ou emocional vulnerável. 

Como funciona
A promessa é de que as participantes multiplicarão o dinheiro, evoluirão espiritualmente e ainda ajudarão outras mulheres. Para isso, é preciso convidar amigas para participar da “mandala” – grupo de 15 mulheres organizadas em hierarquias. Imagine um círculo de quatro camadas: oito mulheres na camada mais externa e, sucessivamente, quatro, duas e uma no centro. Cada uma dessas camadas recebeu o nome de um elemento da natureza – respectivamente, fogo, ar, terra e água. Isso acontece porque, de acordo com o sistema, as integrantes “desbloqueiam” os elementos em si mesmas cada vez que passam de etapa, dando a impressão de que a mulher que chega ao centro alcança um estágio de evolução superior.

Quando uma mulher chega ao centro, fatura uma bolada, que promete ser de oito vezes o valor “investido”. “Disseram que isso acontece por causa da Lei da Atração. Quando você coloca energia boa no mundo, ajudando as pessoas, o Universo devolve para você”, elucida Juliana. Cada vez que uma mulher ganha o montante, ela sai da “mandala” e todas as demais sobem um nível. Agora, aquelas que fizeram a doação por último devem convidar duas novas integrantes, que também terão de desembolsar o valor.


Bastam alguns cálculos para perceber que a conta não fecha. A única maneira de todas terem lucro seria se a população feminina da Terra fosse infinita! “Não existe dinheiro fácil e rápido. Se você consegue isso, tenha certeza de que alguém está sendo prejudicado. Em uma escala de 1 a 10, provavelmente, só duas pessoas se dariam bem.

Cura da alma
Muitas das integrantes das “mandalas” afirmam que o lado financeiro fica em segundo plano diante do crescimento espiritual e do suporte emocional que os grupos oferecem. Por isso, as maiores vítimas são mulheres em situação de vulnerabilidade. “Tome cuidado com estes discursos de apoio mútuo e dinheiro rápido e fácil. A ideia parece bonita, especialmente para quem passa por um momento difícil, mas a proposta nada mais é do que uma pirâmide financeira, na qual muitos saem prejudicados para beneficiar os poucos que começaram com o esquema, apenas uma outra forma de golpe”, recomenda Carolina Sandler, especialista em educação financeira e fundadora do Finanças Femininas.
Finançasfeminina

Do Blog: O jornal Tribuna do Norte informa que o Rio Grande do Norte já ganha muitos adeptos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário